Mostrando postagens com marcador Cassidy. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Cassidy. Mostrar todas as postagens

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Tá atrás de 'egozinho', é?

Por The Irish Beer


E aí, caros leitores.

Publiquei um texto um tempo atrás no fórum Homens Honrados com o intento de criar uma reflexão acerca das suas atitudes, não só dentro do fórum mas na sua vida. Querendo ou não, uma coisa vai refletir a outra. Pra quem tá atrás de reconhecimento barato na vida, de massagem no ego pura e simplesmente recebe o que lhe é dado, no caso a futilidade de propósitos edificantes.



Quero que reflitam sobre o que estão fazendo e como estão fazendo. É pra agradar os outros ou a si próprio? Quais são suas prioridades? Quais são seus objetivos? É isso que você quer?


Boa leitura.


Falaí, seus bando de badernista.

Como aqui é um fórum que prioriza o desenvolvimento pessoal também (ainda bem! rs), eu resolvi deixar em pauta alguns assuntos um tanto broxante para alguns , mas que irá servir de utilidade pública nacional e um dia ajudará a você conseguir uma medalha de honra ao mérito, pra satisfazer seu ego bonitinho mais ainda!

Fofo, não?

Vou tocar numas feridas que talvez arda em alguns, mas é a pura verdade:

(não só o pessoal do fórum, mas pra todo homem que prioriza realmente o próprio desenvolvimento)

- Você não vai fazer tanta falta ao fórum/comunidade se sair. Sério.
Na boa, pare de achar que tá com o conhecimento do mundo no meio das pernas que isso chega a ser cômico. Tem e teve muita gente que achou que seria um grave dano ao fórum caso tivesse uma eventual saída, mas olha...o fórum continuou ganhando membros, e isso vai continuar acontecendo. Desculpa.

Você não é um mártir aqui dentro, você é mais um colocando suas experiências pessoais para outras pessoas se identificarem, nada mais que isso. Você não nasceu com uma porra de Biblioteca da Alexandria dentro da cabeça, então abaixa a bola aí. Sem dúvida há excelentes membros que contribuem, e com certeza criaram ótimos materiais para a gente, mas na boa, a gente discute conhecimento aqui e não pessoas.

Não fique achando que o fórum vai sentir gravemente sua falta, pra cada um de você vem dois, e se Deus quiser isso só tende a aumentar.

- A gente tá pouco se fodendo pra quantas estrelinhas de Rank você tem.
Eu não entendo, o que tem de cara mimado que já deu o bote por achar que não teve seus "esforços" reconhecidos não tá no papel. É incrível a capacidade do cara ler N.A, dizer que entendeu pra depois colocar toda hora o maldito ego em jogo querendo mostrar serviço em tudo.
A gente vai valorizar? Depende do nosso gosto, não existe obrigação nenhuma fora as regras de conduta.

Enquanto você bonitão tá aí gozando na cueca por atingir o nível máximo de posts (ou em qualquer comunidade que seja) um colega de fórum/comunidade seu tá comendo uma ninfetinha linda e o outro tá num emprego ótimo...

Sabe como é, eles tão meio ocupados pra ficar pensando nisso. Vida injusta essa, né?

- Homem fazendo fofoca, que bonito!
Ficar o dia inteiro falando mal de mulher é foda mas é compreensível. Fracassados, cabaços e perdedores fazem isso, eles existem aos montes.
Mas fazer fofoca? Ah, na boa, bicho, não fode! Toma vergonha nessa cara e vira macho, porra!

Que coisa é essa de piscar o rabicó toda hora ao falar de alguém de outro membro ou comunidade? Quanta fixação por macho, nunca vi! Além de misóginozinho você também é uma espécie de Sósia do Amaury Jr?

A menos que você considere leva e trás uma coisa importante pra desenvolvimento pessoal, aí sim o banco da praça tá livre pra sua bunda espinhenta.

- A "Real" tá em você, e não nas suas palavras, no seus posts ou nas suas comunidades
Não, você não vai ser o pau de aço por criar mais uma comunidade ou um fórum. Você não vai ser o garotão da vez por ser 'quotado' trocentas vezes no fórum ou comunidade por falar uma coisa coerente e decente.

Tem gente que fica tão bitolada que acha que a Real é uma bola, e quem tiver com ela na mão tá ganhando o jogo. Todo mundo quer ter a Real, todo mundo quer ser um ícone ou um criador de um blog, comunidade ou o caralho. Sua arrogância não cola aqui, padauã da internet. Seu personagem level 60 no World of Warcraft não vai trazer inveja pra ninguém. Sai desse mundo.

"Ai, aqui a gente é da ala X, não aceitamos caras da ala Y, seus manginas/misóginos!"

Na boa, cês são um time de futebol, uma turminha do recreio ou o quê?

Aprendam a aceitar o mundo como é, e parem de criar uma espécie de redoma em volta de vocês! Quando criança, já não bastava a mãe super-protetora que não te deixava sair do apartamento, agora essa de querer ver só semelhança quando na verdade o que existe é a sinceridade do mundo ao enfiar a mão nas suas fuças.
Quanto mais redoma você deixar que seja colocada em volta de você, mais feio ela vai estourar um dia. E ninguém vai se importar com isso, ninguém vai te dar o parabéns por ter saído dela.
É seu dever fazer o que você quer, e não querer fazer bonito para os outros.

Uma hora o tempo passa, e se você se martela o tempo inteiro querendo saber a identidade do Mó Humirde ou onde tá o Nessahan Alita, eu só te digo uma coisa com toda a pena do mundo:

Você não é digno de ser chamado de homem, muito menos de honrado. Suas bolas pediram por desenvolvimento, sexo e conhecimento, enquanto você tava preocupado em ganhar reconhecimento num lugar onde você mal vai ver as pessoas, e o mundo vai continuar após a sua saída.

Você vai sair levando o que fez...e vai ter servido de espantalho para metade dos leitores dos fóruns/comunidades.

Enquanto o resto? Ah, eles tão felizes! Cheio da mulherada, dinheiro e saúde!
E brindando pra cada sucesso que eles obtiveram graças aos esforços e a Real, muitas vezes sendo o simples anônimo recém cadastrado.

Pois é...

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

A nova geração de homens mimados.

Por The Irish Beer.

Bom dia, povo.

Depois de tanto tempo observando alguns fatos e constatações, cheguei a uma conclusão terrífica sobre a nossa atual condição. A condição do homem moderno das metrópoles ou dos ranchos semi-interioranos.

A nova e péssima frescurite.


Ele possui uma vasta coleção de cremes na prateleira do banheiro, assiste novelas, é frequentador assíduo dos salões de beleza, veste cores berrantes por supostamente ser mente aberta, não tem medo de falar que ama ou expressar suas emoções, porém faz cara feia e bate o pé caso toma uns foras ou não encontra seu gel capilar feito à base de porra de golfinho.

Durante muito tempo a educação familiar tem recebido um imenso mal e déficit que ligaram péssimas consequências ao nosso dia-a-dia: a superproteção familiar, principalmente oriunda das mães. 

Desde cedo, o rapaz é tratado como se fosse uma espécie de santidade intocável, levado a acreditar que o mundo lá fora corrompe sua pureza, lhe dá malícia (como se fosse uma coisa ruim...) e mancha sua camisetinha nova da Tommy Hilfiger, criando mais tarde uns bandos de marmanjos que não possuem as mínimas noções de respeito, autoridade e lida com o mundo exterior.

Embora eu bata sempre nessa tecla, eu volto a repetir. O homem de hoje é um produto sensível e extremamente inseguro, tanto parte pela sua educação, tanto parte pelo que vivência. Ele não possui opiniões sólidas e segue a velha opinião de rebanho. 

Você pode olhar o mundo afora e ver por aí um clã de emos frescos, pseudo-playboys com o corte do Neymar, universitários criados a leite com pêra invadindo a reitoria da USP para fazer uma imagem cômica de uma falsa Revolución...



Na questão da lida com as mulheres, ele sai pior ainda. O tipo brasileiro costuma chegar agarrando, porém morde o travesseiro durante a noite de aflição caso toma um fora. O homem moderno não sabe ser rejeitado, ele leva tudo para o lado pessoal. E sabem por que?


Ele gasta trezentos reais numa camiseta, duzentos num óculos escuro, cinquenta numa cueca (rosa) e centenas e centenas em academia e suplementação. Isso tudo para ele é uma evolução pessoal digna de transcendência moral.  Ao levar um fora, ele sente uma espécie de negação ao seu esforço para adquirir mulher, como se aquilo não tivesse sido grandes coisas. 


O homem sensível e mimado costuma ver as coisas por um lado vertical e unilateral.


Como uma espécie de criança birrenta fã de Ben 10, ele costuma resguardar uma espécie de rancor quinta série para as pessoas que não deram essa valorização ao seu esforço de nível abrangente, eles encaram o mundo como uma extensão de suas mamães que devem aplaudir e comentar tudo o que fazem de bom grado, e passar a mão na cabeça caso aconteça algo danoso para eles, como perder o ingresso para o show do Tiesto. Extremamente passional, emotivo e pessoal.

A timidez e o medo do próximo é um problema para o homem moderno. Ao falar com os próximos, eles sentem uma espécie de nervosismo, necessidade de aceitação ou autorização por entrar em contato com algo que ficou fora por muito tempo de sua vivência. 
O homem mimado por não saber se comunicar, vai buscar referências em outras pessoas ou formas de comunicação para preencher suas lacunas, daí você dá um voalá para as novas modas: pseudos PCs-Siqueiras, esquerdistas rebeldes calçando Nike Shox, pseudo comedores, playssons e por aí vai.



Na falta de um pulso firme masculino, o homem inseguro busca referência em todas as formas existentes. Sua insegurança busca alguma espécie de respaldo de modus operandi masculino, jogando a culpa em tudo que é exterior por macular a sua perfectibilidade pessoal.


Em suma, o homem mimado merece o seu potencial vazio de auto-crítica.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

50 Álbuns que todo homem deve ouvir - Parte 2

Por The Irish Beer

Boa noite, galera.

Devido aos esclarecimentos da primeira parte, eu deixo frisado novamente:

- Ninguém tá de obrigando a ouvir porra nenhuma, seu fresco sem esportividade.
- Não vou colocar NENHUM álbum de metal extremo, e sim álbuns ao alcance amplo do gosto masculino. É mais fácil a maioria ouvir Pink Floyd do que Cannibal Corpse, é tão difícil entender isso?
- Os álbuns colocados aqui são questões de gosto pessoal, embora posso receber dicas e opiniões.
- Fiquem a vontade para acrescentar alguns na lista.


Grato.

Vou começar com um álbum lendário na história do Heavy Metal:

Ozzy Osbourne - Blizzard Of Ozz



Lendário álbum com a participação do virtuoso guitarrista Randy Rhoads, sendo esse o debut album da carreira solo do cantor Ozzy Osbourne. Solos de guitarra líricos com influência neoclássica estão aqui, com destaque para o famoso solo da música Mr. Crowley. Na minha opinião é um dos melhores álbuns de heavy metal já feitos, atingindo o ápice da criatividade.
Detalhe para as músicas Mr. Crowley, Revelation (Mother Earth), Crazy Train e a balada Goodbye to Romance.

Pink Floyd - Dark Side Of The Moon



Não seria exagero dizer que esse álbum é definitivamente um dos 20 melhores álbuns de rock de todos os tempos. Genialidade do começo ao fim, com influências de blues, sintetizadores e experimentalismo à luz da alma. Há quem diga que o álbum possui várias referências ao filme The Wizard of Oz. Enfim, excelente pedida para ouvir enquanto se bate aquela sinuca esperta.
Recomendo as músicas Us and Them e Money.

Blackfoot - Strikes



Terceiro álbum da banda e o primeiro a encabeçar a trilogia dos animais na capa. Southern Rock de qualidade do inicio ao fim, protagonizado pelo excelente Rickey Medlocke como frontman da banda. Pra quem não sabe, esse índio véio dos fodidos é atual guitarrista da lendária banda de Southern Rock Lynyrd Skynyrd.
Excelente álbum que deve ser ouvido por todos os fãs de Southern Rock e Hard Rock no geral. Destaque para as músicas Highway Song, I Got a Line on You, Wishing Well e Train Train.
Um dos melhores álbuns que eu já ouvi na vida.

Rush - Moving Pictures



Oitavo álbum do trio canadense de Hard Rock/Progressivo. Acredito que esse tenha sido o álbum quemais vendeu da banda, chegando a muitos ouvidos dentro do mainstream. Seria uma injustiça não citar o álbum 2112 também, mas esse aqui possui excelentes clássicos da banda, como a famosa Tom Sawyer, Limelight, YYZ e Red Barchetta.

Metallica - Master Of Puppets



Terceiro álbum da banda, último como sendo da participação do lendário Cliff Burton, ex-baixista da banda morto em um acidente durante uma turnê da banda. Porrada do início ao fim, demonstração de virilidade e não-frescurite em todos os riffs do álbum. Juntamente com o Blizzard Of Ozz, é um dos melhores álbuns de metal na minha opinião, dentro desse post.
Pra conhecer melhor o álbum, recomendo ouvir as faixas: The Thing That Should Not Be (letras com influência do escritor H.P Lovecraft), Welcome Home (Sanitarium) e a música homônima, Master Of Puppets.

Hank Williams III - Risin' Outlaw



Para os fãs de Country, esse álbum é uma boa pedida. Álbum solo do ex-baixista da banda Superjoint Ritual, neto do Hank Williams e filho do Hank Williams Jr, tendo o Country como uma tradição passada por hereditariedade. Destaque para as músicas Devil's Daughters, Cocaine Blues e Lonesome For You.

Zé Ramalho - Perfil



Bom álbum pra quem quer conhecer melhor as obras do famoso compositor. Com elementos de Rock, Blues, boa MPB e música nordestina. Há aqui músicas famosas de sua carreira, como a badalada Mistérios da Meia Noite e Admirável Gado Novo.

Whitesnake - Restless Heart



Décimo álbum da banda (o que para os fãs mais puristas, não é uma coisa boa), com influências nítidas de blues/rock clássico em suas canções. Há quem diga que o álbum é mais uma peça solo do cantor David Coverdale do que um álbum da banda em si. Para evitar esse tipo de frescuras, coloquei no mesmo balaio e dane-se.
Pra quem gosta de baladas, a canção Too Many Tears é uma excelente pedida, com um clima blues e melancólico. Detalhe para a música Crying também.

Nirvana - Nevermind



"Ai, Irish, Nirvana é banda de grunge trouxa! Ai, Irsih, Nirvana não é tr00, mimimi"

Segundo álbum da banda, caracterizando o estilo cru, livre e não técnico da banda. Contem as músicas mais famosas do grupo, como Smells Like Teen Spirit e Come As You Are. Porém, contem outras músicas igualmente boas como In Bloom, Polly e Lithium. Se você é um metaleirozinho dogmático metido a truezão das trevas, passe longe desse álbum.
Se tem a cabeça aberta o suficiente pra ouvir algo que foge do padrão "Riff pesado - Solo virtuoso - Bateria insana", ouça esse.

The Beatles - The Beatles



Conhecido também como The White Album ou aqui no Brasil como Álbum Branco. Décimo álbum do grupo. Gravado no lendário estúdio de Abbey Road, contendo elementos de Blues, Rock'n Roll clássico e um pé no início do Hard Rock.
Muitas músicas, mas dentre elas eu recomendo: "Ob-La-Di, Ob-La-Da, While My Guitar Gently Weeps (composição genial de Harrison, recebendo vários covers depois), Helter Skelter e Julia.


Logo logo, sai da fornada a terceira parte.

Pra quem quiser recomendar, dizer qual não foi uma boa ou xingar muito no Twitter, sinta-se em casa!

domingo, 29 de janeiro de 2012

50 Álbuns que todo homem deve ouvir - Parte 1

por The Irish Beer.

Falaê, negada.

Hoje eu vou começar uma nova série.
Serão recomendados aqui cinquenta álbuns que contém grandes canções, riffs de guitarra ou levadas de bateria que marcaram e fizeram história. Como toda coisa boa da vida, deve ser aproveitada por todo homem que se preze e claro, sem moderação.

Não vou colocar um estilo apenas, será uma compilação muito diversificada. Alguns serão coletâneas e outros ao vivo, não serão necessariamente gravados em estúdio. Aliás, algumas bandas aparecerão mais de uma vez, sabe como é...elas merecem.
Cada tópico terá dez álbuns, num total de cinco tópicos. Não existe uma ordem de preferência ou uma espécie de pódio Top Three, todos são igualmente importantes e de boa qualidade.

Esqueça as merdas que você ouvia no Disk MTV ou no Clipmania.

Quem quiser contribuir também com algum "spin-off", sinta-se em casa.

Sem mais enrolação, vamos lá.


Dream Theater - Images And Words

Imagem








Segundo álbum da famosa banda de Heavy Metal, embora seja muitas vezes confundido como sendo o primeiro. Veio na melhor época, época em que o grunge dominava o cenário do rock mainstream. Ao invés do som sujo e grave, surgiu o virtuosismo e a elaboração técnica da guitarra de John Petrucci. Destaque também para as linhas de teclado. Destaque para as músicas "Pull Me Under" e "Learning to Live". Pra quem é fã de Heavy Metal e Rock Progressivo, é uma ótima pedida.

Django Reinhardt - Djangology


Álbum coletânea do grande guitarrista de Gipsy Jazz, Django Reinhardt. Linhas melódicas belíssimas seguidas de algumas passagens da escala cromática. Som extremamente relaxante e bonito. Destaque para a música "Minor Swing", creio que o maior sucesso do guitarrista Belga.


Red Hot Chili Peppers - Californication


Sétimo álbum da banda Red Hot Chili Peppers. Apesar de ter álbuns tão bons quanto, foi nesse que a banda decolou de vez para o mainstream, recebendo vários prêmios. Guitarras Fender funkeadas, baixos graves, trabalho feito pela dupla John Frusciante (guitarra) e Flea (baixo) e grandes passagens rítmicas que possuem influência do funk, aliado ao rock mais leve característico da banda.
Destaque para as músicas "Californication", "Get On Top" e "Around The World".

King Crimson - In The Court Of The Crimson King


Álbum de estréia da banda inglesa de Rock Progressivo. Detalhe para as passagens acústicas das músicas "In the Court Of The Crimson King" e "Epitaph", trabalho feito com maestria pelo genial guitarrista Robert Fripp.
Recomendadíssimo.

Deep Purple - Nobody's Perfect


Deep Purple tocando ao vivo em 1998, durante a turnê do disco 'The House of The Blue Light'. Esse álbum é recheado dos grandes clássicos da banda, como Smoke On The Water, Hush, Perfect Strangers entre outros. Detalhe para os solos de teclado efetuado pelas mãos de Jon Lord, durante as pausas das músicas.
Um dos melhores álbuns ao vivo que eu já ouvi, e tenho o prazer de ter na minha coleção.

Jan Hammer - Miami Vice


Álbum Soundtrack do tecladista tcheco Jan Hammer. Linhas de sintetizador poderosas, destaque para a música "Payback". Recomendo pra quem quer fugir um pouco do escopo do rock. Porém, não achei esse álbum a venda aqui no Brasil, na Amazon ele está com um preço legal.

Faith No More - The Real Thing


Terceiro álbum da banda. Não precisa dizer que as músicas "Epic", "Falling to Pieces" e o cover da música "War Pigs", da banda Black Sabbath são os grandes destaques do álbum. Estréia do Mike Patton como vocalista da banda que aliás, que faz um trabalho primoroso com a mudança de vozes dentro das canções. Ritmos funkeados, bons riffs de guitarra e a criatividade anormal de Mike fazem desse álbum uma excelente pedida. Obrigatório.

B.B King & Eric Clapton - Riding With The King


Dois gênios do blues, alcançando o primeiro lugar no Top Blues Albums da Billboard. Preciso dizer alguma coisa? Destaque para a música homônima, aliás.

John 5 - The Devil Knows My Name


Um excelente guitarrista de country, rock e heavy metal. Álbum instrumental com influências de country rock. Pra quem não conhece, John 5 é um guitarrista virtuose que já trabalhou com artistas de grande porte como Marilyn Manson, Joe Satriani e David Lee Roth. Apesar de ser um álbum instrumental, ele se diferencia muito do comum por ter passagens mais obscuras e ter uma temática "horror", tudo isso mesclado às técnicas de guitarra country e passagens de blues. Ênfase para as músicas July 31st (The Last Stand) e 27 Needles.

The Beatles - Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band


Oitavo álbum da banda, dessa vez com uma faceta mais experimental e com diversas influências e instrumentos, como música oriental e escalas da música hindu. Muitos consideram esse álbum um dos berços do Rock Progressivo, pelo experimentalismo e pelos trechos e passagens que fogem do comum. A famosa "Lucy In The Sky With Diamonds" está presente no álbum.

Aguardem pela segunda parte.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

E quando a sensibilização masculina entra em jogo?

Por The Irish Beer

Boa noite, galera. Hoje eu vou entrar num tema que precisa de uma análise abrangente, colocando num
plano prático algumas artimanhas (ou não) que fazem parte da situação de um espelho pra Medusa.
 

Uma coisa que tem sido muito comum nas mídias e diversas fontes é a apologia à sensibilização¹ barata do homem, tornando-o estéril em questão de personalidade e escolha. Vou contar uma coisa que deixará vocês pseudo-ingênuas putas da cara: 

Nós homens não choramos no final dum filme de comédia romântica. Nós homens fingimos escutar suas lamúrias pra te levar pra cama e o pior, não ligamos se sua sogra vai gostar da gente ou não.

A masculinidade efeminada do novo homem abre início pra uma nova depravação essencial que faz ele ficar cada vez mais de seus longes propósitos: reprodução e proteção. Vou falar outra coisa que deixará vocês pseudo-ingênuas putas da cara: 

Vocês sabem que a gente tá querendo comer vocês, seja um simples "oi" na padaria ou uma amizade recém começada. Se você é gostosa, pode ter certeza que eu te quero na minha cama. 

O apelo à sensibilização barata do homem nada mais é do que o controle sobre sua própria sexualidade e seu comportamento. O homem sensível é o homem dócil, previsível e com um cabresto que segue o livro de cabo a rabo. 
A sensibilidade fingida de um homem denota previsibilidade dentro da conquista, pois lá a malandra pensará: 
"- Ele cai nessa, ha ha ha!"

Mulheres não gostam de flores diárias, não gostam de suas lágrimas e muito menos de suas compreensões fingidas. O contexto é que vai fazer o gosto, o gosto pela surpresa e pela sensação de corda bamba. Não abrace uma causa humanitária. O mundo não precisa dessa sensibilização barata de abraçar um carvalho e dar graças a Deus por ser mais uma pessoa de coração quente, essa efusividade toda na verdade demonstra uma imensa insegurança em querer seguir o pulo na amarelinha, quando na verdade você quer mandar é tudo pra puta que pariu e tomar umas. 

Do mesmo jeito que mulheres procuram diversão e fuga da sua tediosa rotina, nós procuramos diversão ao nosso modo de uma faceta responsável. Não deixe que tirem essa vontade de vocês pra camuflar uma pseudo compreensão com o mundo exterior. Você sabe o que você quer, e mais ninguém sabe.  



[1] - Existe uma diferença abissal entre sensibilidade puramente humana/moral e a sensibilidade efusiva/efeminada que está muito presente na vida do homem moderno. O homem hoje é estimulado a liberar todas suas emoções e literalmente soltar a franga, se tornando num fresco impulsivo e frouxo. A sensibilidade necessária pra arte, pra filosofia, pra moralidade e pra família é essencial para o homem atemporal, não essa frescurite barata que faz o homem dar um tiro no próprio pé.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Escórias Masculinas - Hippies

Por The Irish Beer

E aí, bando de lenhador canadense.

Hoje eu começo uma série direta e incisiva: detono o perfil de todos os tipos masculinos que compõem o campo da escória e da desonra, jogando fora o maior dom que nos foi dado no momento em que fomos paridos de nossas mães. Os culhões.

Os malditos culhões.

Esses homens por algum acaso do destino, obra sobrenatural ou falta de vergonha na cara mesmo, decidiram abandonar todos os valores masculinos que nos fazem ser machos de verdade. E não, não existe relativização. Todo macho que se preze tem: honra, dignidade, virilidade, amor à família e a propriedade, coragem, orgulho e territorialismo.

O exemplo de hoje é um perfeito tipo de desonra aos esforços que nossos antepassados fizeram para manter a ordem e o bom senso na sociedade. São perfeitos imbecis que acham que um movimento social aqui ou acolá mudará uma tradição natural de milênios.

Apresento para vocês os malditos hippies:



Pra quem não sabe, esse movimento de contracultura surgiu nos anos 60 com o intuito de torrar os pacovás de militares e trabalhadores que diferente deles, faziam algo de útil para proteger e gerar rendas para o país.
Como todo bom cidadão, seus maiores hobbies são: fumar maconha, criticar o militarismo e as guerras, criticar o capitalismo, criticar o patriarcalismo, criticar o heterossexualismo, criticar o fato de acidentalmente terem nascido com duas bolas, ouvir rock psicodélico e fumar mais maconha ainda.

As mulheres adoram exaltar a natureza e para fazer jus ao que dizem, não se depilam ou tomam banho, fedendo a bunda de macaco durante as manhãs e a sardinha de lata durante a noite. Geralmente por não serem destacadas sexualmente, precisam se aderir a alguma forma de ideologia imbecil pra chamar a atenção de algum macho.
E é claro que esse macho sempre será o líder de alguma banda Power-Flower escrota, e não aquele ripongo leite com pêra que estuda na USP e faz letras.



Por falar em USP, letras, coisas escrotas e afins, um novo tipo de hippie surgiu durante essas novas décadas, principalmente dessa última. Os neo-hippies. Aqui no Brasil é fácil de ver esses daí. São magrelos que deixam a barba crescer, colocam uma roupinha xadrez, adotam algum movimento ambiental, viram vegetarianos e calçam alguma sandália de couro fedorenta. Para as mulheres: cabelo curto, MPB, lesbianismo e roupas estilo Maria Gadu.

A maioria faz algum curso de humanas e nunca trabalhou duro na vida. Resumem a vida em botequins, passeatas contra a violência policial/militar ou desastres ambientais, festinhas particulares regadas a maconha e muito raramente ficam dentro da sala de aula. Os que conseguem terminar o curso (mesmo após 17 DPs), arranjam o emprego em alguma ONG, partição pública ou produtos homemade (como brincos e colares que desmontam após uma semana de uso).
Acham que sendo livres de espírito e de coração, serão amados pelas suas colegas hippiezinhas mesmo não sabendo que elas molham a calcinha pelos líderes de bandas de rock psicodélico.

Aqui vão os fatos:

- Se dizem pacifistas, mas a verdade é que são um bando de covardes que não possuem culhões para defender suas famílias, terras e propriedades. Criticam as guerras por não serem corajosos ou bravos o suficiente para morrerem em nome da pátria. Criticam a propriedade por não possuir nada.

- São drogados e ao mesmo tempo defendem uma ordem pública. Para eles, um criminoso assalta porque não teve oportunidade na vida e não pelo fato de ter usado tudo quanto é tipo de droga.

- São fracos, frangotes e sem masculinidade. Acham que ter um corpo forte e adotar a virilidade é sustentar o consumo e a degradação ambiental.

- Não cursam humanas pelo fato de se interessarem profundamente pelo conhecimento, mas sim porque são vagabundos e procuram um curso de baixa concorrência pra terem mais tempo de fazer sarais escrotos e fumar mais maconha ainda.

- Seus programas culturais são extremamente chatos: sarais, recitais, passeatas, discursos, festas drogadas e escravos de Jó no terreno baldio do lado de casa.

- Escutam rock psicodélico e MPB. Defendem o vegetarianismo mas usam couro. São liberais sexualmente não possuindo qualquer noção de territorialidade ou dignidade sexual. Cheiram a fandangos.

- São ingênuos pois acham que as mulheres não ligam pra condições materiais. Geralmente são chifrados ou trocados pelo roqueiro cabeludo e tatuado que tá pouco se fodendo pras Araras Azuis.


Se tiverem mais fatos sobre essa falsa projeção de masculinidade, podem mandar bala.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Aos Leitores do Blog

Por The Irish Beer

Boa tarde leitores (e leitoras também! rs) do blog Homens Honrados. 

Hoje eu tô aqui pra falar de um tema deveras complicado e delicado, mas que precisa de um enfoque para não avançar para problemas maiores, tanto para vocês quanto para suas ações.
Esse ano foi um ano e tanto para nós, construímos um fórum novo, reformulamos o blog e adquirimos novos membros. Beleza!

É muito bom saber que vários homens estão interessados em olhar pro outro lado da moeda e começar a pensar por vontade própria. Podem ter certeza que não só eu mas como muitos caras do fórum trabalham pra isso, e inclusive vários blogs e materiais são disponibilizados pra vocês e para nós estudarmos e debatermos cada vez mais.

Porém algumas coisas eu andei observando e cheguei a uma conclusão não satisfatória: a frustração desmascarada de alguns leitores. É como se antes disso a vida dele se resumia a mulheres de uma forma positiva, agora passou a se resumir de forma negativa.
Vou falar uma coisa pra vocês: o feminismo não está conspirando contra a sua pessoa, as mulheres não estão querendo te ferrar ou alguma coisa do tipo e responder a um bom dia feminino não vai fazer de você um "mangina".

Aqui nós divulgamos o material de estudo sobre o lado obscuro feminino elaborado pelo Nessahan Alita, que foi um grande pioneiro nesse escopo. Porém é bom frisar que o foco dele não foi em si a vadiagem feminina e sim a defesa das artimanhas feitas muitas vezes por mulheres vadias¹, por meio da luta constante contra o seu apego e sua paixão puramente irracional.
Ou seja, ele deu caminhos para que você pudesse deixar de ser um escravo emocional das mulheres para ter vontade própria, sem submeter-se aos caprichos auto destrutivos vindo da passionalidade e apego extremo dedicado a outra pessoa do sexo oposto. 

O fato dele ter feito essa obra não significa que todas as mulheres sejam vadias, pelo contrário. Afirmar isso seria a mesma coisa que deixar de comprar pães pelo fato da padaria ao lado de sua casa fazer pães sem qualidade. 
Ele apenas expôs um fato que antes não era muito amplamente estudado, sendo o lado manipulador feminino tão existente quanto o lado virtuoso delas também, e que pode vir a tona caso ela controle essas inerências destrutivas que não são só exclusivas delas, mas também de todos nós seres humanos.

Só porque elaboramos textos sobre a vadiagem² feminina aqui não significa que todas as mulheres sejam assim, até porque ninguém aqui possui uma bola de cristal, possui? 
Ser honrado não é ficar o dia inteiro reclamando por causa de mulher, é ter resultados na vida com dignidade. Ser honrado é respeitar os outros e ser respeitado.

Ela vadiou com você? Legal!
Dá um pé na bunda e ponha na cabeça que pessoas inúteis são completamente substituíveis, sabe por que? 

Porque elas são meras conveniências, nada mais que isso.

Não deixem que esse sentimento de revolta ou coisa do tipo possa atrapalhar suas oportunidades de experiência, seja aproveitando a companhia de uma mulher decente ou fazendo sexo descompromissado com uma mulher indecente para relacionamentos.

O mundo ta aí fora pra vocês conquistarem, ele é todo de vocês.

Boas festas.

Do moderador do fórum Homens Honrados, The Irish Beer.


[1] - Mulheres vadias é o nome dado para aquelas mulheres que manipulam seus parceiros ou pretendentes com o intuito de obter vantagens de forma não sincera, enganando-os e torturando-os emocionalmente, recebendo mais benefícios do que dando. Ou seja, uma jogadora emocional que apenas visa vantagens, uma egoísta.

[2] - Nem todos os atos desfavoráveis a você feito pelas mulheres pode ser chamado de vadiagem. Se uma mulher não quis ficar com você e preferiu o boa pinta do lado, é gosto dela. Se ela te deu um fora, é opção dela, ninguém tem essa obrigação de aceitar sem ter vontade. 
Se você acha sua coleguinha de turma uma vadia só porque ela preferiu sair com as amigas a te dar um beijo, reveja os conceitos e saia um pouco de casa, seu egoistinha mimado.


quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

A Essência de Marte - Parte 3 - Zona de Conforto

Por The Irish Beer

Pois bem, galerada. Cá está a última parte da trilogia A Essência de Marte.

Antes de tudo, vou esclarecer alguns pontos. O Conforto vai além do bem estar físico, social e mental...ele alcança a transcendência pessoal. Essa etapa final enxerga os pontos como eles são de fato, sem refutações ou conjecturas. Por esse fator é justo atribuir o conforto como uma característica forte da masculinidade. 

Algumas pessoas tocam no assunto da morte do ego, mas é bom salientar que mesmo sendo uma coisa de certa forma positiva, é um pormenor complicado e extremamente trabalhoso. Não é algo que sai da cartola como um coelho, é um feito dito de um ascetismo sem palavras. 
A afirmação total de seus atos, pensamentos e proveitos vai de encontro direto à satisfação da alma, a questão que diferencia é a qualidade do seu sacrifício e da sua alma. O que é de pouco pede e faz pouco, o que é de muito faz muito e se sacrifica muito. O conforto é o reconhecimento da masculinidade e da própria alma.



Em meio aos conflitos, as afirmações e as violências imputadas, o homem é colocado na famosa saia justa, ou ele sai de lá inteiro ou ele cai. O resultado disso a gente chama experiência, o excedente é chamado de lucro ou prejuízo. As pessoas buscam pelo segundo (lucro, claro...ninguém é idiota de buscar pelo prejuízo) e por conseqüência adquirem o primeiro. 

O processo de maturidade de pensamento é dado de acordo com as vivências que o homem presencia e a relação com o auto conhecimento, auto controle e auto respeito. O homem que aprende é o homem que se ama, se valoriza e vai de frente às ondas sociais e internas. Situar-se dentro da zona de conforto não é aprender a tirar o pneu de um carro ou cozinhar a lasanha que a mamãe ensinou, o mundo vai além e exige mais do que isso.



É mais justo falar ainda que hoje, a sociedade despreza o conforto masculino e valoriza muito o conflito, quando na verdade um é a ação e o outro, a reação. Duas medidas justas e que ambas não vivem sem a outra; muito viril do homem que experimentou dos dois e hoje desfruta de todas as boas conseqüências de suas escolhas. 

Ele ta lá por isso, ele se conforta por isso...sua alma dorme bem como um bebê de oito meses. Como o mundo é mundo, logo mais tarde haverão outros conflitos, e o ciclo continua novamente. 

É a vida. É o ciclo.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

A Essência de Marte - Parte 2 - Violência

Por The Irish Beer

Imagem

E aí, galera. No texto passado dessa série, vimos a relação entre a zona de conflito (ou fuga da zona de conforto) com a essência da masculinidade. Coloquei alguns pontos necessários para a compreensão e fiz uma análise de pequenos pormenores que denotam muitas vezes o porquê do conflito ser tão necessário.

 É importante não levar as palavras no sentido literal e unilateral das coisas, ou vão achar que o intuito da série é incitar uma revolución armada ou fazer apologia à estupidez e não é definitivamente isso. Não quero aparecer numa reportagem do Fantástico junto aos Carmageddons da vida, rs.

No sentido, digo puramente e sem conjecturas a palavra violência. Violência é a quebra de valores, concepções ou até da moralidade e integridade por meio de atos físicos ou imateriais (você não precisa chutar a bunda de alguém para soar violento). Violência envolve força, embora força necessariamente não envolve a questão da violência.

Para uma melhor compreensão, vamos voltar aos remotos tempos da antiguidade pré-histórica. O ser humano, tal qual hoje sempre buscou dois fatores: a saciedade (bem estar) e a fuga da dor. Em uma época onde era o lema “morte: um dos dois”, uma simples conversa “deixa disso” não resolveria a questão.
Pra todos que conhecem o filme, sabem como ele termina. A humanidade caminhava alegremente assim, sobrevivência e sobrevivência.

Não só com humanos, mas com animais também, a violência física é presente em vários aspectos: a sexualidade de um macho de acordo com dada espécie será influenciada pelo comportamento dominante e violento do mesmo. Instintivamente a violência física prudente é capaz de transmitir segurança e sobrevivência ao grupo.



Graças às instituições sociais e as concepções de moralidade, tal qual o sedentarismo da sociedade, a caça e a segurança se tornaram fatores secundários e a violência como fator essencial de sobrevivência se tornou secundário consequentemente. 
A violência física não é somente a agressão injustificada, a covardia. É também uma forma de defesa, um contra-ataque aos atos de ruptura à nossa integridade física, no caso relatado. Nós humanos, somos seres violentos. A violência tal qual o uso da força pode ser tão prudente como imprudente e destrutivo. 

A violência porém não é apenas meia lua, soco, ela pode vir muitas vezes sob a faceta ideológica ou com a quebra de valores morais e éticos. Tirar o direito de um homem praticar a violência como um ato defensivo é tirar o seu direito de sobrevivência e de visão de mundo. Praticar um ato violento não significa ser violento e muitas vezes, covarde. 
A entrada em um conflito com uma consequente possibilidade de quebra de valores, integridades e honradez define o uso da própria defesa instintiva como modo de sobrevivência e bem estar. 

Uma nação pode muito bem ser pacífica e bem estruturada, porém, possuir seu exército e suas táticas militares. Em relações pessoais e individuais, a violência interior torna-se presente: a perda de uma pessoa ou de um relacionamento antigo requer a violação do ego, requer uma batalha interior defensiva e a ruptura de valores anteriores que você possuía. A mudança de idéias e de concepções requer a violação e o boicote aos falsos “eus” que você possuía dentro de você. 



Ao passo que o homem caminha, é necessária a noção de defesa e da integridade. Ao passo que o homem conflita (tanto interiormente como exteriormente), é necessário o uso da violência. É necessário saber lutar, mas não necessariamente viver lutando. 

Algumas notas: 
1 – Noção de violência e defesa é diferente de violência injustificada e ignorante. 
2 – Praticar um ato violento não significa necessariamente ser violento. 
3 – Tanto a violência física como a psicológica são danosas. A violência ideológica é tão ou mais danosa do que a violência física. A ruptura da ótica de valores de uma pessoa ou sociedade pode ser mais danosa do que uma guerra.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Bonito no papel? Não mesmo!

Por The Irish Beer

Boa noite, galera. Há uns dias, caminhando na rua depois de devorar boas esfihas de frango com catupiry, tomar minha jurupinga e sentir o cheiro de terra molhada por causa da chuva (poético e escroto, mas acreditem, é bom pra caralho), comecei a ter uns toques de consciência tardia no mesmo estilo da garota Regan.


Algo me dizia "Não é bom nem no papel, Irish! Não é bom nem no papel, he he he!" A voz não me dava medo não, rs. Bom, muitos já devem ter ouvido várias palavras que são pontos comuns que saem das bocas e entram nos ouvidos das pessoas.
Muitas vezes essas frases são espera trem, pra terminar um assunto ou pra colocar algum tipo de conveniência. 
"Eu ouço qualquer tipo de música! Desde o axé até o rock pesado do Cazuza, sou muito eclético e amo música!"(nada contra quem ouve variados tipos de música, é até muito bom isso...enfim, entenderam a sentença).
"Adoro literatura! Paulo Coelho é genial! Aliás...você viu aquela promoção na banca? Você pode ganhar o livro novo do Dan Brown!" 
"O socialismo é muito bonito no papel, pena que na realidade é outra coisa" .

Opa, pera lá. 

Alguém aqui realmente parou pra analisar essa última frase? Bem, pra você falar que o Socialismo é muito bonito no papel, você precisa definir o que é o socialismo e quais são as metas dele. As pessoas costumam falar que o socialismo é bonito pelo fato da ingênua igualdade e bondade entre as pessoas, beirando a uniformidade goiabada com queijo, mas será que isso é realmente uma coisa boa, mesmo que utópica? 

Sintetizando e muito, o socialismo é uma organização prezando pela socialização dos meios de produção, supressão da noção de propriedade privada e livre comércio. Seria a tomada pelos proletários em cima dos detentores da ideologia fomentadora da opressão dual entre Capitalista x Proletário, tal qual a derrubada dos pilares que os tais teóricos marxistas definem como "superestruturas" burguesas (estado, moral, religião, educação, mídia etc). Em suma, a finalidade era a destruição dos ditos valores burgueses para a instauração do poder proletário com uma consequente dissolução de classes, onde todos seriam iguais perante os interesses, deveres e benefícios de uma sociedade comunista. Bom, vamos colocar algumas questões.

Pra você achar bonita a total igualdade, você deve achar bonita as consequências e os meios que fazem tal igualdade acontecer. Estatização deveria ser a nona maravilha do mundo, a queda dos valores morais deveria ser tão bela quanto as fugas de Bach e a supressão das forças da igreja deveriam ser servidas com açúcar mascavo por uma bela garçonete de top.
A igualdade só é alcançada pela padronização do pensamento, do modo de agir e da falta de liberdade mercadológica. Hegemonia faz com que o indivíduo se torne uma formiga a mais pro formigueiro, sem distinção e em tons cinzas.

A falta de teoria faz milagres, rs

No momento em que você instaura a liberdade econômica, o caboclo faz o que quer e como quer em relação aos seus investimentos, desde aí colocando ponta para a diferenciação e valor individual. Onde tá a beleza em ser padronizado igual a todos, sem poder exercer seus atos meritocráticos e diferenciais com o perigo de ter o bedelho estatal enfiado no meio do rabo?
Há quem diga que Marx era vagabundo e mal intencionado, mas a minha tese é a de que ele foi uma criança extremamente amargurada, alegando as notas baixas nas aulas de educação física sala pelo fato da professora correr rápido demais, e não por ele ser um gordinho sudoríparo. Tal pensamento se perpetuou até a sua vida adulta e a máscara ganhou apenas uma maquiagem a mais.

É muito fácil querer ajustar o mundo a você mesmo quando na verdade você que tem que acompanhá-lo...ele sempre foi assim, desigual e extremamente bonito.

Cesar merece o que é dele. Ah, antes que eu esqueça: Proletários de todo o mundo, (des)uni-vos! Vão trabalhar mais e chorar menos.


Quer igualdade? Vai pra prisão, lá o uniforme é laranja e o caráter é nivelado como cobertura de bolo.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

A Síndrome da Branca de Neve.

Por The Irish Beer

E aí, cambada véia. Quem aí tiver uma boa memória vai lembrar de uns anos ou até décadas atrás, quando éramos pirralhos catarrentos que curtiam a vida jogando bolinha de gude, soltando pipa, ralando o joelho andando de bicicleta e subindo árvores. 
Por muito tempo a nossa vida resumia a estudos, deveres, brigas e brincadeiras, aceitávamos isso numa boa sem xingar muito no twitter. Fomos crescendo, quebrando a cara e adquirindo alguma experiência útil, umas malícias aqui e acolá. Muitos observaram ou até vivenciaram desilusões amorosas, quebraram a cara com a bonitinha que sentava na frente ou com a professora de matemática que usava um belo decote mas porém, tava lá só pra te dar as notas vermelhas nas provas pois você perdia o seu tempo batendo uma assistindo Emanuelle. 
O tempo foi passando e muitos foram adquirindo experiências, outros não, continuaram cabaços com uma mentalidade digna de um orangotango com rubéola. Porém muitos já presenciaram uma síndrome presente, e muito, nas estatísticas do comportamento feminino. A temível, horrenda, inescrupulosa e enganadora Síndrome da Branca de Neve. Tá, não é pra tanto assim, rs.




Pois bem. O que define essa tal síndrome? Você já deve ter reparado, durante qualquer momento da sua vida, aquela moça rodeada de amigos. Todos procuram agradá-la de algum modo, seja pagando o lanche do intervalo ou o almoço pós expediente. É uma mulher adorável, capaz de despertar o romantismo em qualquer ingênuo desavisado, e que por sinal são muitos. Ela é invejada pelas outras mulheres que, exteriormente reprovam as atitudes. Sabe como é: ela anda cheia dos macho, não é um bom exemplo pra mulherada. Mas por dentro, sobe aquela inveja por não ser o centro das atenções dentro do grupo.


Ah, se eu tivesse os peitos e o carisma dela...

E assim é a sua vida, na companhia de vários caras (ou de sete anões), conversando diversos assuntos e sendo paparicada feito um bebê criado pelos avós. Muitos dos anões tentam uma vez ou outra arriscar alguma coisa com ela. E aí vem o velho clichê.


Teria dado certo se não fosse nossa amizade, não quero estragar tudo...beijinho.
E aí que o fenômeno vem com todas as forças. Depois de um tempo, cá aparece ela com um cara que nenhum dos anões viram na vida. As mulheres a invejam mais ainda por isso. Ele é nada mais nada menos do que o príncipe encantado do outro lado do mundo, ou pode ser aquele cara que ela conheceu numa festa e teve uma noite de sexo casual no primeiro dia. E é aí que entra o fator da síndrome. Ela só se envolve com caras que não são do seu círculo social...ninguém conhece eles e muito pelo contrário, os caras que ela costuma pegar são totalmente diferentes dos seus amigos. Diferentes pra melhores, claro.




Vou colocar aqui algumas características muito comum entre elas:

- São bonitas: Você nunca verá uma portadora da síndrome com uma aparência feia, zoada ou esculachada. É claro que é comum ver garotas não tão bonitas na companhia de diversos caras, mas essas geralmente são tratadas como "Girly Dude" no meio deles. As Brancas de Neve não, elas são bonitas e geralmente são paparicadas por isso.

- Se comunicam muito bem: São extremamente populares, são conhecidas por todos e geralmente por causa disso costumam ser invejadas pelas rivais.

- Imagem de santa: Geralmente são garotas que falam sobre qualquer merda com os amigos, porém não tocam de jeito nenhum no quesito putaria. Ninguém sabe da sua vida sexual e alguns chegam até a desconfiar que o hímen dela é um Santo Graal.

E o maior de todos:

- Absurdamente hipergâmicas: Você não vai ver elas com o Seu Zé da esquina ou com o colega bonzinho da faculdade, muito pelo contrário, os caras que costumam sair com elas são geralmente de outros lugares. Pelo fato de ser paparicada por todos os homens dentro de seu círculo, ela perde o senso de desafio e magnetização feminina em relação aos machos não tão destacados. Para ela, esses homens servem apenas como uma espécie de amizade eunuca e assexuada, enquanto os mesmos sonham com ela no travesseiro da cama.

E então, ela fatura o príncipe bonitão e boa pinta enquanto os anões ficam chupando os dedos, felizes para sempre.


E vocês, conhecem alguma Branca de Neve?

sábado, 22 de outubro de 2011

A Essência de Marte - Parte 1 - Conflito

Por The Irish Beer

E aê, Marmanjada.

Pois bem, hoje eu vou começar uma série a respeito das nuances da masculinidade.
O que nos faz ser homem em essência (fora o bilau no meio das pernas)? Talvez vocês devem ter percebido que todas as ações ditas masculinas ou “coisas de macho” possuem três fatores: conflito, violência e zona de posterior conforto e dominância.

Todos esses fatores seguem uma ordem natural e não devem ser abaladas por fatores externos, pois então fará que o curso seja interrompido. Apesar dos nomes sugerirem atos voltados ao mundo, saiba que é uma coisa completamente diferente, meu amigo. Ele começa por dentro de você...

Comecemos com uma rápida análise a respeito da vida no geral. O início de uma replicação sexual celular ocorre por duas maneiras: assexuadamente e sexuadamente. Não irei tratar da reprodução assexuada por motivos óbvios, e nem vou remontar a história da evolução. Apenas traçarei uns fatos.

Peguemos nós, mamíferos como exemplo.

O que é natural acontecer para que ocorra a manutenção da vida é a reprodução sexual por meio do cruzamento entre o macho e a fêmea dentro de um bando. A atração se dá por fatores desde genéticos até comportamentais e sociais.

Muitos dizem que existem rituais pré acasalamento entre algumas espécies, aumentando então a tensão da reprodução até que ela ocorra de fato. Desde então, surge o fator primário para a manutenção da masculinidade bem efetivada.



O conflito. Começa com um espermatozóide. Dentro da biologia, o valor de uma fêmea é mais alto em relação a o valor de um macho. Ela pode dar a luz uma vez apenas por ano, enquanto o macho pode engravidar quantas puder. Resumindo então, o óvulo possui um valor biológico maior dentro dessa perspectiva.
Os espermatozóides por serem numerosos competem entre si para alcançar a fecundação e assim, dar sentido à replicação celular que formará mais tarde um indivíduo. Emocionante e clichê, não? Desde cedo, você teve que sair de sua zona de conforto para conseguir o que tem agora, sua vida. Seu primeiro ato pré existência foi um ato conflituoso, algo que te fez perceber uma coisa: ou você fica parado aí esperando o óvulo chegar, ou corre atrás e nasce logo. A competitividade masculina já aparece aí.


Ser homem em primeiro lugar é entrar em conflitos, é impor seu modo de pensar, agir e de sobreviver em relação ao mundo. Somos uma espécie de elemento ativo dentro da natureza. Até o mais simples barco ou uma caçada de alces até a mais complexa construção civil nasceram dos conflitos de vontades e ações internas que demonstraram que ser macho é muito mais do que arrotar na mesa.
E pelo contrário, somos exigidos a todos os momentos esse conflito, desde a ruptura de um namoro que exige conflitos internos para uma melhora emocional posterior até uma entrevista de emprego, onde existe uma mistura de conflitos interiores como: vontade, atitude e falta de medo e nervosismo até como exteriores: seus concorrentes e debatedores de idéias diferentes.


Ser homem em primeiro lugar é assumir seus conflitos e colocá-los na mesa, é não fugir de sua condição de dar a cara a tapa em qualquer situação necessária e principalmente, colocar suas vontades e idéias no papel para constituir um lugar melhor para você e também para a sociedade, caso necessário.


segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Palavras - Os Agentes do Politicamente Correto

Por Cassidy

E aê manada véia.

Muitos de nós aqui, senão todos, somos abertamente contra a influência do politicamente correto e suas nuances dentro da sociedade. 
Embora parece exagero falar, e parece rs, o politicamente correto tem pequenos detalhes que o fazem ficar cada vez mais forte e devorador de cérebros.

Vamos colocar dois sujeitos aderentes do politicamente correto:

O pseudo intelectual fresco: Aquele que é politicamente engajado em tudo, possui uma causa até pra soltar um barro na privada e leu várias possíveis obras de sociólogos, antropólogos, economistas e filósofos. Gosta de tomar frapuccino, ouve MPB ou qualquer banda politicamente engajada e assiste filmes franceses sem nexo ou iranianos com duas décadas de duração. Fedem.



O maria vai com as outras, sem opinião e facilmente manipulável: É aquele seu amigo que diz nas rodas de cerveja que a mulher sofre opressão, dá esmola pra mendigo pois o mesmo é vítima do sistema. Acha que vivemos em uma época nova, todo mundo merece ser feliz. Apóia a parada Gay, o Greenpeace e chama a esposa de patroa. Assiste BBB e comenta as novelas da Globo, é musicalmente eclético e adora a literatura do Paulo Coelho. O importante é se divertir e ser feliz. É contra a pena de morte. 

Definidos os sujeitos, vamos apresentar hipóteses:

Você bebendo uma cerveja e o pseudo intelectual fumando maconha. Você se sente desconfortável e sai de perto do esquerdinha ou fala pro filho da puta que aquilo é uma afronta aos costumes. 
Ele diz:
- Pô, bicho, relaxa...tá sussa! Tu tá usando uma droga também, que é o álcool. Cada um usa sua droga e sem problemas, felicidade e paz brow!

Pau no cu.

Hoje, estamos em uma época onde é proibido expressar opiniões contrárias ao que a sociedade costuma pensar. E ainda chamam isso de liberdade de expressão. Muitas palavras, se forem faladas serão consideradas blasfêmias, outras serão símbolos da salvação. Algumas terão a finalidade de evidenciar a inocência ou a falta de nocividade. 
Estão muito errados.

A palavra é um sistema simbólico de comunicação. Qualquer palavra dita será associada ao objeto e suas características, positivas ou não. E isso muitas vezes de forma inconsciente. 
Vou colocar algumas pra dar um exemplo:

Preto/Negro - Hoje virou Afro-Descendente. Hoje tudo que tiver o nome "Afro" está ligado à alguma causa ou revista escrota de exaltação à beleza negra. A palavra "Preto", "Negro" está associada à coisas negativas, ausência de luz, trevas, negatividade. Mesmo sendo o sujeito de pele escura, negra, ele mesmo exigirá ser chamado de Afro, pois a piadinha "Neguinho do Pastoreio" é uma ofensa para o mesmo.

Droga - Um dos argumentos preferidos dos maconheiros é chamar o álcool e o cigarro de droga. A associação com o nome droga faz com que a maconha também seja inserida no grupo, porém, injustamente proibida e criminalizada. Qualquer nome que tiver a palavra droga e for vendida de forma legal terá a mesma crítica por parte dos pró-marijuana. 

Irregularidade, Desvio: Um dos preferidos dos PTralhas. Se você rouba uma galinha, você faz um roubo, assalto. Se um ministro, deputado ou qualquer porra faz um roubo de grandes proporções, ele faz um desvio, uma irregularidade. Petista não rouba, e sim faz irregularidades.

Réu, Elemento: Você entrou numa casa, estuprou uma mãe, espancou um pai de família e matou um filho? Foi pego vendendo um pacotinho de maconha? Relaxa! A mídia e o Governo vão fazer o máximo para livrar seu rabo da reta e te dar um novo nome. Ladrão, criminoso, facínora são nomes do passado, hoje você será chamado de réu e poderá fazer ligações de dentro da cadeia. Sabe como é, o pessoal dos direitos humanos acha opressor demais ficar apodrecendo na cadeia sem fazer nada por ter sido uma ameaça à sociedade.

Liberdade: Com certeza um dos mais nocivos. Tudo que é libertário é visto como sinônimo de felicidade hoje. Liberdade em excesso traz mudanças, mudanças mudam as tradições. Bom, a Parada Gay, Marcha da Maconha e das Vadias estão aí. Novelas da Globo abordando de forma positiva o aborto, a viadagem e a promiscuidade? É a liberdade! Cada um faz o que quer e isso sim é ser feliz.

Fora outros nomes que hoje são exemplos de chacota dentro de uma sociedade politicamente correta.
Experimenta falar a palavra Cristão, Deus, Família, Homem, Supremacia ou Submissão.

Aos que querem se aprofundar no assunto, recomendo o filme 1984, que traz esse tema de forma criativa e bem exemplificada.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

O Dinheiro e as Mulheres.

Por Cassidy

Não, cuecada velha...

Vocês não vão ler mais um texto relatando o quão as mulheres são interesseiras e dinheiristas.
Hoje vou contar uma história, uma história que acontece diariamente com milhares de brasileiros.

Vou contar a história do seu Onofre.

Seu Onofre nasceu em um ambiente deprimente. Uma casa suja, sem muitos cômodos e toda empoeirada. Seu Onofre tinha problemas respiratórios e não raramente espirrava até os pulmões saírem devido à esse problema. Sua mãe, dona Célia, não podia levá-lo ao Pronto Socorro porque trabalhava de diarista durante 12 horas por dia.

Seu pai, o seu Adamastor, sempre foi um velho ranzinza e alcóolatra. Na verdade, ele era o pai ilegítimo de Onofre, visto que o pai biológico estava na cadeia por não pagar as pensões alimentícias. A vida de Onofre era triste, fraca e seca. Ele não tinha dinheiro nem pra comprar uma pipa e sua infância foi um fracasso.
Com as mulheres então, o problema era maior ainda...tímido, feio e burro, mal conseguia dar um beijo na boca. Perdeu o BV com 20 anos e a virgindade com 25, juntando o dinheiro do salário pra comer uma puta de esquina. Pegou uma doença venérea.

Sua personalidade foi mudando. Onofre culpava a Deus e o mundo por sua pobreza e miséria. Era um fracassado de marca maior. Com o tempo, começou a olhar com maus olhos o dinheiro e as pessoas ricas.
Se perguntava:
"Eu sempre fui um cara honesto, trabalhador e cresci numa casa fodida, pichada e suja. Porque eu sou pobre e esses filhos da puta que sorriem o dia inteiro são ricos?"
Onofre passava o dia inteiro no bar com os seus amigos Crebinho e Cereja, dois pobretões que igualmente falavam mal de dinheiro e ricos o dia inteiro. Comiam torresmo e enchiam a cara, não tinham dinheiro pra pagar um curso, mas pra comprar uma 51 então...era festa!

Conhecia algumas pessoas igualmente pobres, mas que procuravam melhorar a cada dia mais. Reconheciam a falta de dinheiro e que o mundo era movido à interesses, porém durante a discussão demonstravam a vontade em mudar e sair da merda em que se encontravam.
Muitos saíam, inclusive seu primo que morou junto com Onofre. Não deu um mês e Onofre começou a difamar o primo: dizendo que este roubou pra ficar rico, virou outra pessoa, só vive pra dinheiro e agora é um filho de uma puta de grife.

Depois de anos e anos reclamando, Onofre acha seu pote de ouro no fim do arco íris, um de seus colegas, igualmente pobre lhe dá ótimas dicas de como sair da lama. Descobre um meio de tirar uma grana: vender cabritos. No começo, não dá tanto certo e ele novamente põe a culpa no mundo e no dinheiro, e em quem o possui, claro. Mas com o tempo, a prosperidade vai tomando conta da mesa de Onofre. Sua mãe, falecida e seu pai em um asilo, Onofre agora tem liberdade para com a sua casa.



Aliás, ele vende a velha casa. A prosperidade sorri para ele. Compra uma nova...aparece com um carro na frente do bar onde se encontravam Crebinho e Cereja. Ele não é mais a mesma pessoa. Falar mal de ricos e de dinheiro? Pra que, ele tem agora e muito!
Onofre durante sua vida inteira falava mal de ricos e de dinheiro, e mal sabia que em uma grande oportunidade iria faturar sua sorte.
Seus amigos que falavam mal de dinheiro o dia todo? Fodam-se eles! Bando de reclamões pobres que só sabem por a culpa no mundo!
Como pessoa? Continua sendo burro, mal sabe o que é ler um livro direito e acha que Strogonoff é o nome de uma cidade Canadense.

Onofre não se desenvolveu, apenas arranjou a pobreza como provisório lar para reclamações e indignações. Não mudou, continua sendo pobre. Mas com dinheiro.


Onofre apenas usou a reclamação da pobreza e a maldição ao dinheiro como forma de distração. Só reclamava e não evoluía. Foi o primeiro a largar seus ideais e suas ações por dinheiro. Hoje ele fala mal dos pobres que conviveram com ele, lhe deram dicas e até ensinaram como vender a porra de um cabrito! E de quem tá lutando pra chegar em um bom patamar.

Agora façamos um exercício. Troquemos a palavra dinheiro por Mulheres. A palavra rico por Cafajestes ou Alfa, como preferir. Onofre, um grande guerreiro da real, metedor das reais sobre a falta de dinheiro.


Coincidência?

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

7 Lições que você pode aprender com filmes policiais.

Por Cassidy

E aí, negada.

Todos nós sabemos que valores não são aprendidos apenas por palavras. É necessária uma observação, reflexão e assimilação para que você consiga internalizar os conceitos.
Não adianta você falar que é o machão honrado defensor da pátria sendo que borra as calças na primeira situação que te joga na parede. E isso acontece direto na vida.


Ao contrário de hoje, filmes passavam boas mensagens e conseguiam captar a atenção de uma forma cativante. O que mais vemos hoje são comédias românticas que te ensinam a entrar no casório da amada com o outro macho e fazer uma declaração patética para salvar o seu amor nos 45 do segundo tempo, tudo isso de uma forma extremamente utópica e errônea, te ensinando a ser uma bicha emotiva e frouxa demais.

Essa lista coloca os valores e lições que há muito tempo não são colocados em filmes, onde hoje vale mais mostrar efeitos 3Ds gays e bailarinas psicóticas cheiradoras de cocaína.

1 - Seja um líder
Nós homens, nascemos com uma dádiva incrível que é a de liderar com justiça, vontade e visão de proteção para os liderados. Ser líder é para poucos, e é necessária uma caminhada longa e cheia de obstáculos para conseguir. Você se torna responsavel pelos outros ao seu redor e muitas vezes é necessária a ação sob pressão. Ou seja, seus culhões estãrao sendo colocados a prova durante todos os momentos.

2 - Seja amado, respeitado, e temido muito mais
O mundo não vai te respeitar se você não respeitar a si mesmo. As pessoas são mesquinhas, baixas e cruéis e no primeiro sinal de fraqueza, irão te rodear como urubus e rir de ti como hienas. Tenha uma boa imagem perante as pessoas do seu círculo social e ao mesmo tempo construa uma imagem que sustente esse atributo. Sendo respeitado e punitivo quando necessário.

3 - Amizade é superestimada
Vivemos num mundo onde é mais fácil chamar o colega de vizinho do que ver provas concretas de tal amizade. Quanto mais amado, influente e liderante for, mais falsos amigos terá. Tentarão puxar seu tapete e muitas vezes jantarão na mesma mesa que você, sorridentes. É bom lembrar portanto, que ninguém chuta cachorro morto.

4 - Você deve tudo à sua família
Foram eles que te colocaram no mundo e deram a cara à tapa para que você pudesse ser o que é hoje. Ou mesmo se eles não ligaram pra você, tiveram muita dor de cabeça e gastos para que você pudesse ter um teto e cama decente. 

5 - O mundo não é cor de rosa
Vivemos cercados por notícias, propagandas e até pessoas que adoram sorrir pro mundo, que a vida é um mar de rosas e a filosofia do carpie diem é tatuada até no rabo da sua vizinha. Essas coisas fazem um desserviço à evolução das pessoas e fazem com que elas fiquem ingênuas e mimadas. Pode ter certeza que o mundo não vai parar pela sua morte e não vai sorrir se você for promovido à limpador de sauna feminina.

6 - Dê a cara a tapa
Pessoas são covardes. Elas irão falar que nada pra você dará certo, duvidarão da sua capacidade e aprovarão sua timidez. Pessoas são acomodadas e não ligam se vão evoluir ou não. Não deixe que ninguém jogue por você, fale por você e assuma o comando por você. Erre, se foda, e aprenda com isso. Nada é fácil e você precisará de uns tombos pra chegar onde quer. Seja macho, porra.

7 - Não tenha medo de deixar para trás o que supostamente era seu
Imagem
Uma das coisas mais importantes e necessárias nessa vida é a capacidade de deixar ir o que não era seu, ou o que era. Se apegar e depender desse fator é um atraso para sua vida e um empecilho para sua evolução e desenvolvimento. Vitorini traiu a famiglia? Dê um tiro na cabeça dele e jogue-o no córrego, mas não deixe que coisas ou pessoas impeçam você de seguir em frente. O apego e a paixão destroem a alma e a sua força de vontade.


Filmes recomendados: Taxi Driver, Era uma Vez na América, O Poderoso Chefão (trilogia inteira), Os Bons Companheiros, Pulp Fiction, Cães de Aluguel, Sin City e A Outra História Americana.