quarta-feira, 17 de julho de 2013

Quando engravidei, meu namorado pensou que tinha sido acidente. Não foi!

Querida Prudie,




Há uns 13 anos atrás, eu engravidei.

Na época, eu estava terminando a escola e iniciando a minha carreira. Meu namorado Ben e eu estávamos namorando a sério por alguns anos. Tínhamos conversado sobre casamento e filhos, mas não tinha decidido sobre quando isso seria.

Ben acreditou que a gravidez foi um acidente. Eu falava às pessoas que tinha sido uma "surpresa planejada, mas bem-vinda". Eu nunca disse a outras pessoas, mas minha gravidez não foi acidental.

Parei de tomar pílulas anticoncepcionais, porque queria ter um filho. Depois que eu parei, fiquei um ano tentando engravidar sem sucesso. Cheguei a acreditar que nunca iria conseguir.

Quando finalmente o teste deu positivo, fiquei com a consciência pesada, sabendo que o que tinha feito era desonesto, algo horrível, antiético. Senti muita culpa e vergonha. Cheguei a cogitar o encaminhamento da criança para adoção; mas decidi criá-la.

Ben e eu nos separamos quando nossa filha "Holly" completou três anos. Vivemos em estados diferentes e não somos amigos; mas ele se envolve na vida de Holly, e os dois têm um bom relacionamento. Me casei de novo, e ele também.

Tive outro filho com meu marido atual. Como todo mundo, ele também acredita que Holly foi um acidente.

Eu passei os últimos treze anos com a sensação de que eu era uma espécie de monstro. Mas estou tranquila, e tenho levado uma vida normal. Estava decidida a levar meu segredo para o túmulo comigo.

Há pouco tempo, uma amiga ficou grávida depois de uma transa casual. Todo mundo assume que foi acidente, mas ela me confidenciou que buscou o sexo com o objetivo claro de engravidar. Fiquei aliviada ao encontrar alguém que, assim como eu, planejou uma gravidez "acidental"; isso me estimulou a revelar o meu segredo.

Mas eu tenho medo. Se eu disser ao Ben a verdade, ele poderá mudar a forma como interage com Holly.

Minhas perguntas são: eu sou algum tipo de monstro por ter forçado uma gravidez? E devo confessar, em caso afirmativo, que deveria saber?




Sr. X vai responder à sua pergunta.




SUA PUTA ARROMBADA DO CARALHO. TU NÃO CONSEGUIU SEGURAR A PERIQUITA, FICOU PRENHA NA MARRA (diga-se de passagem que ficou tentando durante um ano), FUDEU COM A VIDA DO BEN E DA SUA FILHA HOLLY, MANTEVE UMA MENTIRA DURANTE TREZE, TREZE ANOS, E AINDA TEM A CARA DE PAU DE PERGUNTAR SE É UM MONSTRO?




Não, tu não é um monstro. Te chamar de monstro é uma ofensa aos monstros de verdade. Tu é muito pior. Tu é um demônio de tetas e buceta ambulante!






Você foi cínica demais; puta que pariu! Porra, um ano tentando engravidar? Um ano mentindo? Um ano, caralho? 

Depois que viu a merda que tu fez, ainda teve coragem dizer que foi uma "agradável surpresa", quando, no fundo, queria enfiar a pequena Holly em um orfanato!

Mulheres da tua laia não passam de putas baratas. Você não passa de uma golpista arrombada! O fato de você ter encontrado outra puta tão vadia quanto não alivia pro teu lado!





O pior é imaginar que vadias da tua laia têm aos montes por aí. Verdadeiras cadelas no cio, que deixam o instinto falar mais alto que a sensatez, fazendo filho sem consentimento do homem, numa tentativa patética de forçá-lo a ficar com ela. Veja que a putinha do texto acima estava iniciando carreira, e não pensou duas vezes em ferrar com a carreira para arrumar barriga.

Quanto ao Ben, que papel de otário, hein? Fuder mulher sem camisinha dá é nisso! Tu cai no velho conto de que ela está tomando pílula, que sem camisinha é mais gostoso, que você precisa confiar nela; e, no final das contas, tu toma no cu com a vadia embarrigada de um boneco teu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário