terça-feira, 23 de julho de 2013

Como os direitos trabalhistas fodem com o trabalhador


Trabalho. Mais trabalho. Patrão filho da puta enchendo a sua mesa, cobrando prazos, qualidade. Medo de ser demitido. Salário baixo, que mal dá pra se sustentar, e tem que ser suficiente pra sustentar a família inteira. Camelôs e ambulantes se alastrando pela cidade feito uma praga. E, pra coroar, os preços da cesta básica subindo.


O que os efeitos acima têm a ver com leis trabalhistas? Absolutamente TUDO! Cada um dos efeitos acima tem relação direta com os direitos trabalhistas; arrisco dizer que nenhum deles viria sequer a existir, não fossem as malditas leis do trabalho! Sua vida, seja como patrão, seja como empregado, seria DEZENAS DE VEZES MELHOR se as relações de trabalho se resumissem a pagar valor x pelo trabalho y da forma como patrão e empregado melhor entendessem. Com um detalhe: ao contrário do que as pessoas acreditam, o poder de barganha seria TODO do EMPREGADO!

Vou explicar os efeitos das leis trabalhistas um a um. Entender os tais efeitos não é difícil, com a exceção do último. Difícil mesmo vai ser você não ficar puto depois que descobrir a filhadaputice que são as leis do trabalho.

Pra começar, imaginemos uma empresa qualquer. Por exemplo, o supermercado Central do Búfalo:



O dono do supermercado, sr. Leonardo Oliveira, fez um cálculo de quanto dispõe por mês para pagar salários, e chegou ao valor de R$10 mil mensais. Vamos desenhar os R$10 mil:




Com os R$10 mil, o Leonardo Oliveira decidiu contratar 10 empregados, pagando R$ 1 mil pra cada peão. A folha de pagamento vai ficar assim:




Até aí, tudo certo.




Agora, vamos colocar os direitos trabalhistas na história.

Os encargos trabalhistas no Brasil obrigam o empregador a recolher, entre impostos, encargos sociais e outras merdas, um valor igual ao salário do empregado. Se você recebe R$1 mil, o patrão tem que pagar outros R$ 1 mil para o governo.

O problema é que, no caso do Leonardo Oliveira, não tem como dispor de mais R$ 10 mil pra pagar esses encargos. Ele não tem R$ 20 mil pra folha de pagamento; tem só R$ 10 mil.

O que ele vai fazer pra resolver o problema?

Isso:



Por causa das leis trabalhistas, 5 pessoas perderam o emprego, e só 5 continuam trabalhando. Os encargos trabalhistas causaram este efeito: reduziram o número de vagas de trabalho pela METADE!

Vamos piorar a situação um pouco. 

Não bastasse este primeiro efeito, agora sai uma lei dizendo que o SALÁRIO MÍNIMO será de R$1.500,00. Quer dizer que cada empregado vai custar, para o Leonardo Oliveira, R$3 mil!

Como vai ficar a folha de pagamento do Leonardo Oliveira agora:



Mais dois perderam o emprego. As leis destruíram 7 vagas e deixaram apenas três.



Entendeu agora o porquê de as leis trabalhistas causarem DESEMPREGO?






Só que ainda tem mais! Desemprego é só o primeiro efeito! Há outros! Muitos outros!







O Leonardo Oliveira perdeu 7 empregados e manteve três. Ok. Só que o mercado não diminuiu de tamanho! Os três funcionários que sobraram vão ter que dar conta do serviço que os dez faziam! Leonardo Oliveira não está nem aí se o volume de trabalho é gigantesco! Ele só quer o serviço feito!

Os três funcionários, agora, vão trabalhar TRIPLICADO! Sobrecarga de serviço, cobranças intermináveis do Leonardo Oliveira, e tudo isso ainda mantendo a qualidade dos serviços!

Podemos dizer, com absoluta segurança, que os três funcionários que sobraram, agora, estão com a qualidade de vida PIOR. Excesso de trabalho significa DOENÇAS; significa STRESS; significa MENOR CONTATO COM A FAMÍLIA; ESCRAVIDÃO!






Estou exagerando? A maioria de vocês tem certeza que não! É só olhar a realidade aí do seu trabalho: FALTA GENTE! VOLUME DE TRABALHO DESUMANO! TODO MUNDO APREENSIVO, PORQUE O VOLUME DE VENDAS É INSUFICIENTE! 

A sobrecarga de serviços provoca stress, ansiedade e MEDO. Porém, não provoca mais medo que o fantasma da DEMISSÃO!






Voltemos ao supermercado Central do Búfalo.





Os três estão sobrecarregados de serviço, trabalhando feito uns cavalos. Mas não podem reclamar do trabalho, porque os outros 7 que perderam o trabalho estão lá na rua querendo o emprego de volta!

Como tem mais gente na rua que no trabalho, agora o Leonardo Oliveira pode se sentir à vontade pra se tornar um chefe cruel, arrogante, que pisa nos empregados sem dó; ele sabe que, se algum daqueles três pedir demissão, ele pode conseguir outro para o seu lugar RAPIDAMENTE; tem sete opções lá fora!

O medo da demissão, agora, se tornou uma constante entre os três empregados; como se não bastasse todo o stress da sobrecarga de serviços!

Além de pisar nos empregados, além de entupi-los de serviço, o filho da puta do Leonardo Oliveira ainda se vê no direito de ACHATAR OS SALÁRIOS dos três infelizes. Ele sabe que os três não têm opções, ao contrário dele, que tem sete reservas lá fora.

Alguns podem argumentar que o que impede o Leonardo Oliveira de achatar ainda mais os salários é o salário mínimo. Mas, na verdade, o salário mínimo é inútil. Se o salário mínimo está acima do que o Leonardo Oliveira pode pagar, ele simplesmente vai demitir funcionários, como no exemplo acima; se o salário mínimo for baixo demais, ninguém vai topar trabalhar por ele!









Estamos falando muito sobre os três infelizes que estão trabalhando no supermercado. Vamos esquecer um pouco eles e vamos nos voltar aos sete que perderam o emprego. Eles não vão conseguir outro emprego, por que, a exemplo do supermercado Central do Búfalo, as outras empresas também demitiram!

O que eles vão fazer? Alguns vão arriscar abrir o próprio negócio. Já outros (a grande maioria) vão recorrer à INFORMALIDADE! Por falta de emprego, agora, começam a surgir camelôs, pipoqueiros, vendedores de cachorro quente, ambulantes e toda sorte de trabalhadores informais.

Longe de mim dizer que o trabalho informal não seja "honrado". Porém, vocês hão de convir comigo que um trabalhador informal é MENOS PRODUTIVO e possui MENOR SEGURANÇA que um empresário ou um empregado. O trabalhador informal não tem a estrutura que uma empresa possui; não trabalha em equipe; não coopera!


Ao contrário das empresas, trabalhadores informais NÃO PODEM PARAR; se páram de trabalhar, seja lá qual for o motivo (até mesmo doença), páram de receber!









Desemprego, sobrecarga de serviço, stress, medo de demissão, salários achatados, informalidade. Estes efeitos são fáceis de se explicar. Porém, há ainda um último efeito um pouco mais complicado de se entender: o aumento dos preços!








Quem leu o texto Bolsa esmola e os seus reais efeitos já deve ter adivinhado como as leis trabalhistas provocam aumento dos preços. A lógica é idêntica àquela explicada naquele texto!

Por causa das leis trabalhistas, agora temos MENOS TRABALHADORES! Menos trabalhadores produzem MENOS COMIDA, MENOS ROUPAS, MENOS CARROS, MENOS TUDO! 



Se há menos produtos disponíveis, o que acontece com os preços? SOBEM!





Isso mesmo! Se há comida insuficiente pra todo mundo, alguém vai ter que ficar sem! E como se decide quem vai comer e quem não vai? Aumentando os preços, lógico! E quem vai pagar o pato no final das contas? OS POBRES! São eles, os mais pobres, que não terão condições de pagar os preços mais altos, e que irão se foder no final das contas!




Quem diria isso? As leis trabalhistas, criadas para "proteger o trabalhador pobre", na verdade, fazem com que seu salário diminua, empregos sejam destruídos e o preço de tudo, incluindo cesta básica, aumente



PUTA QUE PARIU! PUTA QUE PARIU!




E ainda tem quem defenda esse lixo chamado CLT (CACETE LONGO NO TOBA!)!





Ah, mas eu ainda defendo as leis trabalhistas. Ruim com elas, pior sem elas...




O que te leva a crer que sem as leis trabalhistas as coisas seriam pior???

As coisas nunca seriam pior sem as leis trabalhistas! Muito pelo contrário!

Sem as leis, agora, o número de vagas de trabalho DOBRARIA da noite para o dia, NO MÍNIMO! O desemprego, praticamente, iria desaparecer como num passe de mágica!

Mais gente trabalhando significa MAIOR PRODUÇÃO! Maior produção significa MAIS PRODUTOS DISPONÍVEIS, o que DIMINUI OS PREÇOS!

Camelôs, ambulantes e demais trabalhadores informais praticamente desapareceriam! A menos, claro, aqueles que realmente GOSTAM do trabalho informal. 

Com menos trabalhadores informais, os poucos que sobrarem na informalidade terão MENOR CONCORRÊNCIA, melhorando a qualidade de vida deles também!

O medo da demissão iria desaparecer! Muito pelo contrário: FALTARIA GENTE pra ocupar todas as vagas de trabalho disponíveis!

E, com mais gente trabalhando, haveria menos stress, pressão por resultados e volume excessivo de trabalho!



Vida pior sem leis trabalhistas é o meu ovo esquerdo!





Se você é trabalhador e inteligente, deveria lutar por esta causa: pela extinção de TODOS OS DIREITOS TRABALHISTAS! Pelo direito de VOCÊ decidir junto ao seu patrão seu contrato de trabalho. E com a garantia de que NINGUÉM irá se meter na sua relação de trabalho!


Países ricos não adotam leis trabalhistas, incluindo, entre elas, o SALÁRIO MÍNIMO. Em todos eles, os trabalhadores ganham MAIS e trabalham MENOS que aqui no Brasil. Isso não acontece por acaso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário